Início

O que faz um médico urologista? 

08/07/2024
O que faz um médico urologista? 

Você conhece a atuação de um médico urologista? Sabe que tipos de problemas ele trata? Quanto ganha, em média para exercer a profissão? Como é o mercado de trabalho? A palavra “urologia” vem do grego e une as palavras “ouron”, que significa urina, e “logos” que simboliza estudo. Ou seja, o urologista é o médico especializado no diagnóstico e tratamento de doenças do sistema urinário de homens e mulheres, bem como do sistema reprodutor masculino.

Campo de atuação

Quais são as principais doenças que um médico urologista pode tratar?

Um urologista contribui para a resolução de problemas que têm relação com:

Infecções do trato urinário: consideradas pela Sociedade Brasileira de Nefrologia como uma das causas mais comuns de infecção na população geral. Particularmente as mulheres são mais vulneráveis.

Pedras nos rins ou cálculos renais: são formações endurecidas que se formam nos rins ou nas vias urinárias, resultantes do acúmulo de cristais existentes na urina, de acordo com o Ministério da Saúde. Sendo que os rins são os órgãos responsáveis por filtrar e excretar os dejetos presentes no sangue;

Câncer de bexiga: atinge as células que cobrem o órgão e é classificado de acordo com a célula que sofreu alteração. Conforme o Instituto Nacional de Câncer – INCA, é importante que o paciente fique atento ao sangue na urina, dor durante o ato de urinar e necessidade frequente de urinar, mas sem conseguir fazê-lo. Estes podem ser sinais de alerta de diferentes doenças do aparelho urinário, inclusive do próprio câncer de bexiga;

Câncer de próstata: é o tumor que afeta a próstata, glândula localizada abaixo da bexiga e que envolve a uretra, canal que liga a bexiga ao orifício externo do pênis. O câncer de próstata é o mais frequente entre os homens, depois do câncer de pele. Embora seja uma doença comum, por medo ou por desconhecimento muitos homens preferem não conversar sobre esse assunto. Na presença de sinais e sintomas, o Ministério da Saúde (MS) recomenda a realização de exames;

Câncer de rim: é a neoplasia que surge nos rins. Conforme o Instituto Vencer o Câncer, estes dois órgãos são os principais “filtros” do corpo humano, responsáveis por manter no sangue as substâncias necessárias para o funcionamento do organismo e por excretar, através da urina, as toxinas que podem prejudicá-lo, bem como os excessos de água, sódio, potássio e outros íons. Além disso, também ajudam o organismo a produzir mais hemoglobina;

Disfunção erétil: é a incapacidade persistente de obter e manter uma ereção suficiente para permitir um desempenho sexual satisfatório. Apesar de ser uma doença benigna, afeta a saúde física e psicossocial e tem um impacto significativo sobre a  qualidade de vida dos pacientes, seus parceiros e famílias, observa a Sociedade Brasileira de Urologia;

Incontinência urinária: é a perda involuntária da urina pela uretra. O distúrbio é mais frequente no sexo feminino e pode manifestar-se tanto na quinta ou sexta década de vida quanto em mulheres mais jovens, segundo o Ministério da Saúde;

Doenças da próstata:  a próstata é um órgão masculino relacionado ao ato de urinar e a ejaculação. A Hiperplasia Benigna da Próstata (HPB), popularmente conhecida como “inchaço da próstata”, e o câncer de próstata são as doenças mais comuns desse órgão e costumam aparecer a partir dos 50 anos, de acordo com o  Instituto de Urologia e Nefrologia (IUN).

Infertilidade masculina: O MS explica que a infertilidade é a dificuldade de um casal obter gravidez no período de um ano tendo relações sexuais sem o uso de nenhuma forma de anticoncepção. Estima-se que a infertilidade atinja 10% a 20% dos casais em idade reprodutiva, independentemente de suas origens étnicas ou sociais. Em aproximadamente 30% dos casos, a infertilidade é causada apenas por fatores masculinos.

Como é o médico urologista brasileiro?

Conheça o perfil profissional

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) fez um levantamento para identificar o perfil dos médicos desta área no Brasil. Conforme a verificação, cerca de 90% dos médico urologista são homens e a maioria trabalha na região Sudeste (58%) do país. Os demais profissionais atuam no Sul (16,5%), Nordeste (14%), Centro-oeste (8,2%) e Norte (3,3%).

De acordo com uma pesquisa do Portal Salário, o perfil profissional mais recorrente é de um trabalhador com 43 anos, formação superior em Medicina e especialização em Andrologia ou Urologia. Esta pessoa é do sexo masculino e trabalha 24h semanais em empresas do segmento de atividades de apoio à gestão de saúde de todo o Brasil. A cidade com maior número de contratações com mais vagas de emprego na área é o Rio de Janeiro (RJ).

Formação

O urologista, ou médico urologista, é o profissional formado em Medicina e especializado em Urologia. Ele estuda, diagnostica e trata, clínica e cirurgicamente, condições que afetam as glândulas supra-renais, ureteres, rins, uretra e bexiga em homens e mulheres, assim como os órgãos que compõem o aparelho genital masculino (vesículas seminais, próstata, canais deferentes, testículos, escroto, pénis e epidídimos), conforme o Guia das Profissões.

Remuneração do médico urologista

O rendimento mensal de um médico urologista pode variar bastante dependendo da região em que atua, do seu nível de experiência e do tipo de instituição em que trabalha.

Mercado de Trabalho

A Urologia é uma das áreas mais complexas e amplas da Medicina e, por isso, o mercado de trabalho é vasto. Dentre as várias opções, destacam-se a:

– Urologia Pediátrica (que trata de doenças do sistema urinário em crianças e adolescentes);

– Uroginecologia (voltado a sanar problemas de incontinência urinária e cuidar da saúde feminina);

– Andrologia (com foco no tratamento da saúde masculina).

Oportunidades

A maioria das vagas de emprego ocorre em hospitais públicos e privados, assim como em clínicas particulares e especializadas. Além disso, o profissional pode optar em seguir carreira solo e abrir o seu próprio consultório. Os médicos urologistas também podem ampliar seu leque de oportunidades e dedicar-se à carreira acadêmica. Neste segmento, podem lecionar em universidades com cursos de medicina, enfermagem, fisioterapia e outros. Ou enveredar para o ramo das pesquisas.

Em resumo, os urologistas podem atuar em diversos ambientes de trabalho, como:

– Hospitais públicos e privados

– Clínicas particulares e especializadas

– Consultórios próprios;

– Instituições de ensino e pesquisa.

Cenário mundial

No Brasil e no mundo, o mercado de trabalho para médico urologista é bastante promissor devido à alta demanda por especialistas na área. Alguns fatores que contribuem para este cenário, incluem:

– Envelhecimento da população: uma vez que cresce o número de pacientes com maior incidência de doenças urológicas;

– Prevalência de Doenças Crônicas: porque diabetes e hipertensão, por exemplo, afetam o sistema urinário;

– Avanços tecnológicos: pois novas técnicas e tratamentos requerem especialistas bem treinados.

Considerações Finais

O urologista é o médico especializado no diagnóstico e tratamento de doenças do sistema urinário de homens e mulheres, bem como do sistema reprodutor masculino. Ser urologista requer muito estudo e dedicação, mas a carreira possui um amplo leque de atividades e remuneração bem atrativa, podendo ultrapassar os R$ 13 mil mensais. E a tendência é de que este mercado siga em expansão, em função do envelhecimento da população mundial, do aumento de Doenças Crônicas e da consolidação de novos avanços tecnológicos, que necessitam de profissionais habilitados.

Curso de Medicina da São Judas Cubatão é conceito máximo no MEC

05/07/2024

EDITAL DE SELEÇÃO PARA PARTICIPAÇÃO VOLUNTÁRIA DA MISSÃO JEQUITINHONHA

05/07/2024
Scroll to Top