Início

Infectologia pediátrica: conheça mais a rotina deste médico

06/12/2022

Precisa se destacar e quer encontrar a especialidade perfeita? Este texto pode ajudar a compreender mais sobre a infectologia pediátrica, uma área muito procurada no ramo da medicina.

Dessa forma, você vai entender o que faz esse médico especialista, que tipo de doença ele trata, como deve ser a formação desse profissional, entre outros assuntos muito importantes para quem pensa em entrar na área.

Confira o texto e descubra se essa especialização é para você!

O que faz um infectologista pediátrico? 

A pandemia de Covid-19 nos mostrou muito a função desse profissional, onde foram responsáveis pela prevenção e pelo tratamento dessa infecção em diversos países. Sendo assim, a infectologia pediátrica é uma especialidade médica incumbida por cuidar de doenças de ordem infecciosa em crianças causadas pelos mais diversos parasitas.

O infectologista é encarregado pelo atendimento dos pacientes, pelo processo de diagnóstico das doenças infecciosas e sua prevenção, assim como seu tratamento, sendo ele medicamentoso ou não.

Diferentemente da maioria dos outros especialistas, que atentam a um órgão específico, o infectologista precisa ter uma visão global sobre o paciente, pois as infecções podem afetar diversos órgãos do corpo.

Quais são os casos mais tratados pela infectologia pediátrica? 

Essa área da medicina é responsável pelo acompanhamento e o tratamento de diversos tipos de doenças. O pediatra em infectologista é capaz de fazer o atendimento tanto para infeções comuns quanto para as mais complexas e graves, e deve estar capacitado para tudo o que aparecer. A seguir, algumas das principais doenças tratadas pelo infectologista pediátrico:

  • endocardite;
  • otite;
  • sepse; 
  • ISTs;
  • tuberculose;
  • asma;
  • infecções por fungos;
  • HIV;
  • pneumonia;
  • hepatites virais;
  • infecções no geral.

Porém, as responsabilidades do profissional não se atêm apenas a identificação de certas doenças, ele exerce diversos tipos de funções, desde o atendimento humanizado, até a elaboração de protocolos de condutas médicas, capacitando, assim, também os outros profissionais do ambiente. Podemos ver mais a seguir.

Quais são as áreas de atuação da infectologia pediátrica? 

Por ser tão abrangente, a infectologia pediátrica é uma área importante e muito buscada pelas pessoas no dia a dia. Por isso, a especialidade foi dividida em diversos âmbitos, uma tão essencial quanto a outra. A seguir, veremos algumas das principais áreas de atuação desse profissional e a função de cada uma.

Infectologia Ambulatorial

Como uma área de alta demanda, a infectologia ambulatorial é amplamente buscada pelos profissionais. É responsável por realizar o tratamento e a prevenção de doenças mais simples.

Essa é uma área que trabalha com diversos pacientes em um pequeno período, pois as infecções tratadas nesse ambiente são fáceis e não demandam muito tempo.

Atendimento clínico 

Trata-se da prática da profissão, em que o infectologista pediátrico fica responsável pelo atendimento ao paciente, o diagnóstico e o tratamento das infecções nos ambientes ambulatoriais e em hospitais. É uma área mais ampla, em que se necessita de um conhecimento vasto de diversas doenças infecciosas.

Imunossuprimidos não-AIDS 

Essa é uma área bastante específica dentro da infectologia pediátrica, onde os pacientes passam por tratamentos imunossupressores, por doenças onco-hematológicas ou até por manutenção de transplantes de órgãos.

Como a vulnerabilidade desses pacientes às doenças infecciosas é maior, o trabalho do especialista é cuidar do seu tratamento e sua prevenção.

Epidemiologia 

Essa área é exigida por lei em qualquer clínica ou hospital com uma ala de internação. Sendo assim, a epidemiologia é uma área com bastante demanda, principalmente hoje, em que as infecções hospitalares têm se alastrado progressivamente.

A epidemiologia atua na prevenção das doenças, bem como no controle de infecções hospitalares, sua coordenação por parte dos pacientes e profissionais do ambiente, além dos relatórios para os órgãos reguladores.

Educação 

O infectologista pediátrico não está necessariamente preso a hospitais e a atendimentos por pacientes. É possível que especialistas desse ramo trabalhem no ensino, em cursos de medicina ou até em hospitais infantis, treinando e capacitando outros profissionais de saúde que buscam especialização na área.

Como é a rotina da infectologia pediátrica? 

Lidar com pacientes é uma das grandes funções do infectologista pediátrico, ter tato, sensibilidade e empatia é muito necessário em um trabalho como esses, e no caso da pediatria, isso tudo se torna ainda mais importante.

Além disso, os infectologistas pediátricos são médicos e educadores ao mesmo tempo, pois são responsáveis pela orientação a respeito das doenças infecciosas. O profissional deve ser alguém capaz de estar em constante aprendizado, porque a cada dia, infecções desse tipo são descobertas, e com elas, seus tratamentos e meios de prevenção.

A rotina desse profissional é baseada em atendimentos e acompanhamentos clínicos, em diversos tipos de ambientes. Além disso, pode trabalhar com políticas públicas, na prevenção de doenças, dentro da educação, na realização de palestras e na pesquisa de infecções.

Como é a formação em infectologia pediátrica?

Um profissional tão importante como esse precisa de uma formação de qualidade. Sendo assim, alguns passos são necessários para seguir tal carreira. Para começar, o profissional deve terminar a graduação em medicina, pois ela é o primeiro passo para qualquer especialização médica.

Após a primeira graduação, o melhor caminho para se tornar um infectologista pediátrico é por meio da residência em infectologia. Para fazê-la, procure uma instituição especializada para ajudar na sua escolha.

Os programas de residência nesse ramo têm três anos, não sendo exigido nenhum pré-requisito para serem realizados. Porém, é indicado que a residência seja feita em uma instituição de prestígio, que tenha pelo menos um programa em área clínica e cirúrgica.

Além disso, a infectologia pediátrica parece algo tão amplo que muitas pessoas ficam em dúvida se devem mesmo a seguir. Por esse motivo, os médicos que escolhem essa especialidade precisam estar sempre dispostos a aprender e a se atualizar cada dia mais.

Agora que você entendeu sobre a infectologia pediátrica e sua importância no dia a dia dos hospitais, consegue ver como essa pode ser a especialização ideal para você? A área é focada em atendimento e aprendizagem constante, então, o estudo deve ser o primeiro passo para quem deseja se especializar.

Por falar em especialização, quer aprender mais sobre o uso da Cannabis na medicina? Confira o e-book gratuito “Cannabis medicinal: sua importância terapêutica e avanços no uso” e saiba mais sobre as possibilidades de tratamento!

UnP inova e alunos de Medicina realizam aulas de Cuidados Paliativos durante o Internato 

12/04/2024

Integrantes da Missão África participam do podcast Latitude e relatam experiências em Benin

04/04/2024
Scroll to Top