Início

Tomografia da coluna: o que é, tipos e como é feito 

06/06/2024
Tomografia da coluna

As dores nas costas afetam ou irão afetar cerca de 80% da população global, conforme a Organização Mundial da Saúde. Existem vários motivos para isso, como o sedentarismo, o excesso de peso, problemas congênitos, hérnias de disco, fraturas e até desgastes das articulações, que aparecem com o tempo.  

Na maioria dos casos, a prática de atividades físicas, com o aumento da massa muscular, traz uma melhora na postura do indivíduo. Já o investimento em equipamentos mais ergonômicos, facilitam o dia a dia e melhoram a qualidade de vida do paciente. Entretanto, problemas mais graves na coluna, como traumas e artrose, por exemplo, necessitam de uma atenção maior e exames de imagem mais sofisticados. Nestes e em outros casos mais severos, geralmente o especialista indica a realização de uma tomografia de coluna. 

Mas o que é a tomografia da coluna? 

De acordo com especialistas, a tomografia de coluna consiste em um exame de imagem com extrema qualidade e nitidez. Por meio dele, é possível identificar inúmeros problemas que atingem a região da coluna vertebral. 

Como é feita a tomografia da coluna? 

A tomografia computadorizada (TC) da coluna é um método diagnóstico que capta cortes transversais da coluna, com radiação ionizante. O equipamento usado pode realizar “fotografias internas” de toda a estrutura ou de determinadas partes, pois possui um tubo giratório que coleta imagens a partir de diferentes ângulos. 

Qual é o especialista que pode solicitar este exame? 

Ortopedistas, reumatologistas e cirurgiões costumam solicitar este exame, que detalha cada osso da coluna e pode revelar diminutas lesões. Se for realizada com contraste, a TC ainda pode detectar tumores em potencial. Apenas técnicos em radiologia podem realizar o procedimento. Já a descrição da tomografia, com sua interpretação e laudo, deve ser realizada e assinada por um médico radiologista. 

Quando a tomografia de coluna é indicada? 


Quais são os tipos de tomografia computadorizada que podem ser realizadas na coluna? E para que servem?
 

A tomografia computadorizada da coluna pode ser realizada em diferentes regiões da coluna vertebral, dependendo da necessidade clínica e da área suspeita de patologia. Os tipos de TC da coluna são classificados de acordo com as regiões da coluna examinadas: 

Tomografia computadorizada da coluna cervical

Descrição: avalia as sete vértebras cervicais (C1 a C7).
Indicações: fraturas, lesões traumáticas, hérnias de disco, estenose espinhal, tumores, infecções e condições degenerativas. 

Tomografia computadorizada da coluna torácica

Descrição: examina as doze vértebras torácicas (T1 a T12).
Indicações: fraturas, deformidades, tumores, doenças inflamatórias, infecções e condições que afetam a medula espinhal. 

Tomografia computadorizada da coluna lombar

Descrição: avalia as cinco vértebras lombares (L1 a L5).
Indicações: hérnias de disco, estenose espinhal, fraturas, espondilólise, espondilolistese, tumores, infecções e doenças degenerativas. 

Tomografia computadorizada da coluna sacral

Descrição: examina o sacro, que é formado pela fusão de cinco vértebras sacrais (S1 a S5).
Indicações: lesões traumáticas, fraturas, tumores, anomalias congênitas e doenças degenerativas. 

Tomografia computadorizada total da coluna

Descrição: avalia toda a extensão da coluna vertebral, desde a cervical até a sacral.
Indicações: casos complexos que envolvem múltiplas regiões da coluna, como fraturas múltiplas, anomalias congênitas, tumores extensivos ou doenças inflamatórias abrangentes. 

Como é feita a preparação para uma tomografia computadorizada da coluna? 

A preparação para uma tomografia computadorizada (TC) da coluna pode variar dependendo do tipo específico de TC (cervical, torácica, lombar, sacral) e se o exame utilizará contraste intravenoso. As etapas gerais de preparação são: 

Orientações gerais

Informação: o paciente deve ser informado sobre o procedimento, suas etapas e o que esperar durante o exame.
Consentimento: também deve fornecer consentimento informado após entender os benefícios, riscos e alternativas do exame. 

Jejum

Sem contraste: geralmente, não é necessário jejum se o exame não utilizar contraste.
Com contraste: um jejum de 4 a 6 horas pode ser necessário antes do exame para reduzir o risco de náuseas e reações adversas ao contraste. 

Hidratação

Com contraste: é aconselhável que o paciente esteja bem hidratado antes do exame para ajudar na eliminação do contraste do corpo após o procedimento. 

Medicação

Alergias e reações anteriores: é preciso informar ao médico sobre qualquer histórico de alergias, especialmente a contrastes iodados. Pacientes com histórico de reações podem ser pré-medicados com anti-histamínicos ou corticosteroides.
Medicamentos regulares: normalmente, os pacientes podem continuar a tomar seus medicamentos regulares, a menos que orientados de outra forma pelo médico. 

Roupa e objetos pessoais

Vestuário: o paciente deve vestir roupas confortáveis e pode ser solicitado a usar uma bata hospitalar.
Objetos metálicos: também será preciso remover todos os objetos metálicos (joias, cintos, óculos, etc.) que podem interferir com as imagens da TC. 

Histórico de saúde

Informações importantes: o paciente deve informar ao técnico ou médico sobre condições médicas preexistentes, como doenças renais, diabetes, asma, problemas cardíacos ou gravidez. 

Expectativas durante o exame

Posicionamento: o paciente será posicionado na mesa de exame. Para a TC da coluna, pode ser necessário deitar-se de costas ou de lado.
Imobilização: o indivíduo deve permanecer imóvel durante o exame. Almofadas e tiras podem ser usadas para ajudar a manter a posição adequada.
Instruções de respiração: poderá haver instruções de prender a respiração por alguns segundos em determinados momentos para evitar movimentos que possam desfocar as imagens. 

Uso de contraste

Administração: se o contraste intravenoso for utilizado, ele será administrado antes ou durante o exame. O paciente pode sentir uma sensação de calor ou um gosto metálico na boca.
Reações: é necessário informar, imediatamente, qualquer sensação de coceira, dificuldade respiratória ou outros sintomas incomuns. 

Pós-exame

Observação: após a TC com contraste, o paciente pode ser observado por um curto período para garantir que não haja reações adversas.
Hidratação: será sugerido que ele continue bebendo bastante água para ajudar a eliminar o contraste do corpo.
Atividades normais: na maioria dos casos, o paciente pode retornar às suas atividades normais imediatamente após o exame. 

Quando a tomografia de coluna não é indicada?

 

Quais são as principais contraindicações e precauções relacionadas a tomografia da coluna? 

Embora a tomografia computadorizada (TC) da coluna seja um procedimento diagnóstico importante, há algumas contraindicações e precauções a serem consideradas. Aqui estão as principais contraindicações e considerações para a realização de uma TC da coluna: 

Exposição à radiação

Consideração: a tomografia computadorizada envolve a exposição à radiação ionizante, o que pode ser uma preocupação, especialmente para mulheres grávidas e crianças.
Contraindicação: gravidez (a menos que seja absolutamente necessário e os benefícios superem os riscos). 

Reações alérgicas ao contraste

Consideração: em algumas tomografia computadorizada, é necessário o uso de contraste iodado intravenoso para melhorar a visualização das estruturas internas.
Contraindicação: histórico de reação alérgica grave ao contraste iodado.
Precaução: pacientes com alergias menos graves podem ser pré-medicados com esteróides e antihistamínicos para reduzir o risco de reação. 

Insuficiência renal

Consideração: o contraste iodado pode afetar a função renal, especialmente em pacientes com insuficiência renal preexistente.
Contraindicação: insuficiência renal grave.
Precaução: avaliação da função renal antes do uso de contraste; em alguns casos, pode-se optar por outros métodos de imagem sem contraste. 

Condições médicas específicas

Consideração: certas condições médicas podem aumentar os riscos associados ao uso de contraste ou à exposição à radiação.
Precaução: pacientes com doenças cardiovasculares graves, mieloma múltiplo ou desidratação devem ser avaliados cuidadosamente antes da administração de contraste. 

Obesidade severa

Consideração: a capacidade do scanner de TC pode ser limitada pelo tamanho físico do paciente.
Precaução: verificação das especificações do equipamento e considerar a possibilidade de usar um scanner de TC com maior capacidade. 

Claustrofobia

Consideração: embora a TC seja mais aberta que a ressonância magnética (RM), alguns pacientes podem sentir desconforto em espaços fechados.
Precaução: sedação leve ou técnicas de relaxamento podem ser usadas para ajudar pacientes claustrofóbicos. 

Embora a TC da coluna seja geralmente segura e amplamente utilizada, é crucial considerar as contraindicações e tomar as devidas precauções para minimizar os riscos. Em casos onde a TC não é indicada, outros métodos de imagem, como a ressonância magnética (RM), podem ser considerados como alternativas seguras e eficazes. Por isso, a importância de conversar com o seu médico antes e avaliar prós e contras do procedimento indicado. 

Autismo: diagnóstico precoce garante melhor qualidade de vida

19/06/2024

Inspirali anuncia novo Diretor de Tecnologia

12/06/2024
Scroll to Top