Início

Confira 4 dicas para o médico recém-formado desenvolver a autoconfiança nas consultas

09/06/2022

Um dos pilares para que o médico recém-formado desenvolva a autoconfiança é contar com uma boa especialização! 

Quando um médico recém-formado termina os estudos de graduação, é comum que tenha um pouco de receio diante da nova jornada profissional. Isso acontece porque ele estará enfrentando um novo mundo, no qual precisará ter muita responsabilidade e comprometimento com o trabalho.

É o seu caso? Nessa fase, você precisará lidar diretamente com as vidas das pessoas que necessitam de atendimento médico para tratamento de patologias, por exemplo. Quer descobrir qual a importância da autoconfiança para os médicos e como é possível desenvolvê-la nas consultas médicas? Então, não deixe de conferir todas as informações que elaboramos ao longo do artigo!

Qual é a importância da autoconfiança para médicos?

A autoconfiança é fundamental em diferentes setores da vida, e para o médico recém-formado, não é diferente. Quando esse profissional está iniciando os atendimentos e não consegue passar confiança para o paciente, há o risco de que essa pessoa não retorne para uma próxima consulta.

Por isso, é preciso desenvolver esse sentimento para passar credibilidade aos pacientes e conseguir atrair o público-alvo, em vez de afastá-lo. Afinal, você não pode passar uma medicação para uma pessoa, por exemplo, sem ter certeza daquilo que está fazendo, não é mesmo?

Como melhorar a autoconfiança nas consultas médicas?

O problema de confiança do médico recém-formado, muitas vezes, tem relação com a falta de experiência no setor de atuação. Contudo, é possível adotar algumas estratégias para ter mais assertividade nas consultas médicas. A seguir, preparamos 4 dicas para ajudar nesse processo. Confira!

1. Estar bem informado

Esse é um dos primeiros passos para que consiga ter mais confiança durante suas consultas médicas. Isso porque um profissional de saúde precisa entender muito bem sobre todos os assuntos com os quais tem que lidar no dia a dia da profissão. Seja na identificação de determinados tipos de patologia, na melhor medicação para prescrição, nos fatores de risco que podem prejudicar o quadro clínico do paciente etc.

Ao entender melhor sobre esses e outros assuntos da área, ficará mais fácil ter mais segurança na hora de passar todas as orientações para o paciente. Com isso, as pessoas entenderão a importância de seguir suas recomendações para garantir melhor qualidade de vida.

2. Conversar bastante

Ter um diálogo franco e empático com o paciente também deve fazer parte da sua rotina de trabalho. Isso significa que deverá descrever para a pessoa qual o real quadro clínico, de forma humanizada e prestativa. Dessa forma, conseguirá garantir que o indivíduo fique mais calmo e entenda a importância de seguir o tratamento médico correto.

Portanto, não termine o atendimento antes de passar todas as informações necessárias para o paciente. Além disso, lembre-se de que a conversa não deve ser um monólogo, você deve falar e esperar que a pessoa responda e tire dúvidas.

3. Atualizar-se

Um médico recém-formado também deve se manter atualizado acerca dos tratamentos das doenças, procedimentos, tecnologias da área, entre outros pontos importantes. Essa atualização deve ser constante, para que você realize o trabalho da melhor forma possível, evitando erros durante os procedimentos.

Essa ação faz parte do desenvolvimento da autoconfiança. Isso porque, quanto mais preparado estiver, maior será a certeza sobre as medidas que precisam ser tomadas para garantir que a saúde do paciente seja restabelecida de forma integral.

4. Ter atenção à conduta

A conduta médica está diretamente relacionada ao código de ética dessa profissão, no qual se baseiam preceitos e valores que norteiam a postura profissional. Ou seja, essa é a forma como você se comporta no contexto de trabalho.

Confira algumas ações que estão relacionadas à conduta médica:

  • tratar um doente com presteza e dignidade;
  • usar ferramentas modernas e eficientes para terapias e diagnóstico;
  • prestar informações realistas e verdadeiras aos pacientes, sempre de forma clara;
  • respeitar a opinião do paciente;
  • não compartilhar as informações com outras pessoas etc.

Por que seguir se especializando é tão importante?

O médico recém-formado não pode estagnar a carreira após a graduação. Sendo assim, você precisa seguir se estudando na área médica para que consiga ser um especialista cada vez mais completo e preparado para atender aos pacientes.

Os cursos também são uma porta de entrada para conseguir se destacar na carreira médica. Isso porque, quanto mais preparado estiver para o mercado de trabalho, maiores serão as chances de conseguir ascensão profissional.

Como escolher uma especialização?

Agora que já sabe a importância de seguir se capacitando, é preciso descobrir como escolher a o curso que mais tem a ver com seu perfil profissional. Confira algumas dicas que podem ajudar nesse processo:

  • pesquise sobre o mercado de atuação;
  • pense qual é o perfil do paciente que deseja atender;
  • faça uma avaliação dos ganhos financeiros da especialização médica pretendida;
  • considere suas preferências de estudo;
  • conheça a rotina da especialidade médica em que deseja atuar.

Além disso, na hora de escolher uma especialização, você também deve levar em consideração que precisa contar com uma boa escola de Medicina para dar andamento aos estudos. Ao fazer isso, conseguirá ter uma formação de ponta, com cursos modernos, matriz curricular atualizada e ferramentas tecnológicas que permitem melhorar a aprendizagem e desempenho de ensino.

Um exemplo de uma boa escola de Medicina que pode ajudar nos seus estudos é a Inspirali. A empresa faz parte do grupo Ânima — uma rede com diversas Instituições de Ensino Superior consolidadas em 12 estados brasileiros.

Os cursos ofertados pela Inspirali são desenvolvidos em parceria com instituições renomadas no mercado, como o MaterDei. O melhor de tudo é que a formação pode ser realizada de forma 100% digital, presencial ou híbrida. Isso ajuda quem já está trabalhando a organizar melhor a rotina, sem parar de estudar.

Gostou das dicas deste artigo? Então, que tal compartilhar o texto em suas redes sociais e ajudar outros médicos a conseguir desenvolver autoconfiança na área de atuação?

Guilherme Soarez aborda os desafios das IES na preparação dos alunos de Medicina, no ExpertCast 

16/04/2024

Preocupante projeção de aumento dos casos de câncer

15/04/2024
Scroll to Top