Início

Medicina hiperbárica: especialização e mercado de trabalho

08/09/2022

A medicina hiperbárica é uma modalidade terapêutica muito eficiente quando o assunto é cicatrização de feridas.

Você sabe o que é a medicina hiperbárica? Conhecer sobre esse ramo de atuação pode ser bastante útil, principalmente, por se tratar de uma área que tem sido bastante usada no tratamento de várias doenças. Ela ocorre por meio da inalação de oxigênio puro, processo que gera vários benefícios. Como, por exemplo, o aceleramento do processo de cicatrização.

No entanto, muitos profissionais da área da saúde e pacientes ainda não entendem como funciona essa modalidade. Para esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto, elaboramos este artigo. Confira!

O que é medicina hiperbárica?

Trata-se de uma modalidade terapêutica recomendada para tratamentos de feridas difíceis de cicatrizar. Ao começar o procedimento na câmara hiperbárica, o paciente respira um oxigênio 100% puro, o que leva ao aumento da quantidade de oxigênio transportado pelo sangue. Esse é um equipamento fechado, resistente à pressão e que, geralmente, tem um formado cilíndrico.

Como resultado, o organismo consegue: combater infecções bacterianas, normalizar da cicatrização de feridas agudas ou crônicas, neutralizar substâncias tóxicas, entre outras vantagens. Existem várias indicações para esse procedimento, entre as principais, podemos apontar:

  • dificuldades de cicatrização, como as úlceras;
  • complicações de feridas cirúrgicas;
  • lesões provocadas por tratamentos de radioterapia;
  • acidentes de mergulho e outros relacionados a medicina do esporte;
  • osteomielites;
  • intoxicação por gases venenosos;
  • fibromialgia;
  • complicações pós-operatórias;
  • gangrena gasosa;
  • embolia gasosa;
  • embolia traumática pelo ar;
  • doença descompressiva;
  • anemia aguda, nos casos de impossibilidade de transfusão de sangue;
  • retalhos ou enxertos comprometidos;
  • queimaduras térmicas ou elétricas;
  • infecções necrosantes de partes moles, como fasceítes, celulites e miosites;
  • isquemias traumáticas agudas, como as sofridas devido a lesões por esmagamento, reimplante de extremidade amputada, síndrome compartimental;
  • vasculites agudas de etiologia alérgica, medicamentosa ou por toxinas biológicas, por exemplo, ofídios, aracnídeos e insetos;
  • lesões refratárias, como escaras de decúbito, pé diabético, úlceras de pele, deiscências de sutura, vasculites autoimunes e demais.

O que isso causa no organismo?

O oxigênio produz diversos efeitos terapêuticos. Afinal, esse método é usado para o tratamento de questões de origem vascular ou ligadas a outras especialidades médicas, por exemplo, ortopedia, cirurgia geral, cirurgia plástica etc. Entre os benefícios proporcionados aos pacientes que passam por esse processo, podemos apontar:

  • compensação de deficiência de oxigênio pelo entupimento de vasos sanguíneos ou destruição dos mesmos;
  • combate a infecções bacterianas e por fungos;
  • potencialização de ação de alguns antibióticos, ajudando no combate a infecções;
  • tratamento de feridas crônicas e agudas;
  • neutralização de substâncias tóxicas ou toxinas etc.

Qual a área de atuação do especialista?

Entre as principais funções realizadas pelo médico que atua na medicina hiperbárica está a de prescrever e executar a oxigenoterapia hiperbárica. Então, para que isso ocorra, o profissional precisa fazer uma avaliação para identificar se as condições clínicas do paciente são apropriadas para o tratamento. Esse processo é feito por meio de avaliação clínica e exames físicos.

Outro ponto a ser destacado é a competência do médico especialista na área para fazer revisões periódicas, com a finalidade de acompanhar o progresso do paciente. Dessa forma, ele pode tanto recomendar novas sessões quanto suspender o tratamento.

Durante a rotina de trabalho, é comum que se mantenha um relacionamento próximo com cirurgiões vasculares, plásticos, ortopedistas, endocrinologistas, e demais colegas de trabalho de outras especialidades. Aqui, o objetivo é proporcionar o melhor atendimento possível aos indivíduos que buscam por ajuda médica para solucionar o problema de saúde.

Além disso, o médico habilitado precisa ter conhecimentos em infectologia, cirurgia, pneumologia, medicina intensiva, entre outras especialidades que vão contribuir para o fornecimento de um serviço de saúde mais eficiente.

Como é o mercado de trabalho e a remuneração?

O médico que atua com medicina hiperbárica não só atende aos pacientes com feridas, mas também trata de trabalhadores e mergulhadores que passem por acidentes ao fazer escavações utilizando ar comprimido em estruturas conhecidas como tubulões. Elas são bastante usadas nas construções de viadutos e pontes, por exemplo.

A oxigenoterapia hiperbárica se tornou parte da lista de procedimentos criada pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), desde 2010. No entanto, a disponibilização desse método no Sistema Único de Saúde (SUS) depende de contratos de prestação de serviços e de convênios firmados com as secretarias de saúde.

É um campo que está crescendo e já existem várias clínicas brasileiras cadastradas que ofertam o tratamento. Além disso, centenas de médicos já estão registrados como especialistas. Em um futuro próximo, a especialidade poderá estar entre as áreas mais bem pagas da medicina.

Apesar do ramo apresentar crescimento do decorrer dos anis, ainda existe um déficit em relação a implementação de unidades de saúde para o tratamento por oxigenoterapia hiperbárica. No entanto, existem oportunidades para o médico que busca investir na própria clínica ou consultório próprio ou por meio de franquias.

Na maioria dos casos, atuam em serviços privados, por intermédio da contratação do profissional como pessoa jurídica. Assim, as remunerações são definidas com base em um montante fixo, acrescido a um valor variável referente à realização do serviço.

A medicina hiperbárica é considerada um ramo de atuação de cirurgiões, pneumologistas, médicos intensivistas, médico do trabalho e demais. Os serviços são executados por médicos com vários tipos de formações, já que ainda existe uma falta de programas de residência que englobem a área em questão.

Como se tornar um profissional especializado em medicina hiperbárica?

O médico que tenha interesse em se especializar precisa passar por um curso que seja reconhecido pela Sociedade Brasileira de Medicina Hiperbárica (SBMH) ou que se adeque aos requisitos de atuação estabelecidos pela instituição.

Conseguiu entender como funciona a medicina hiperbárica, sua função e como se especializar? Então, caso tenha interesse em atuar na área, é preciso buscar uma instituição de ensino qualificada e que seja capaz de preparar para conquistar as melhores oportunidades do mercado.

Gostou do conteúdo? Aproveite sua visita ao blog para conhecer o nosso curso de Revisão de Terapia Intensiva Pediátrica e Neonatal!

Missão RS: Alunos e professores de Medicina de diversos Estados brasileiros levam doações e revezam atendimento em alojamentos da região

28/05/2024

Missão Amazônia da Inspirali é tema do Profissão Repórter

27/05/2024
Scroll to Top