Início

6 dúvidas recorrentes sobre a importância da especialização médica

10/11/2022
especialização médica

A especialização médica pode gerar muitas dúvidas. Confira as principais respostas!

A jornada da carreira médica envolve várias etapas, começando no ingresso na faculdade de Medicina. Após a formatura, se abre um leque de possibilidades, tanto de atuação quanto de especialização médica. É nesse momento que podem surgir muitas dúvidas sobre qual caminho seguir.

Além das várias subespecialidades da Medicina, somos confrontados com diversos programas e treinamentos diferentes. Especialização, residência e mestrado são apenas alguns exemplos de caminhos que podem ser seguidos.

Neste post, você encontrará as respostas para 6 dúvidas frequentes no momento da especialização. Continue lendo para saber mais.

1. O que é a especialização médica?

A especialização é o processo pelo qual um médico generalista se torna um especialista. Clínicos, ortopedistas e dermatologistas são exemplos de médicos especialistas, que já passaram por esse processo.

Existem várias subdivisões e nomenclaturas que podemos dar à especialização. Em um sentido mais amplo, elas são divididas entre lato sensu e stricto sensu; enquanto a primeira foca especializações (que conferem o título de especialista ao médico), a segunda é voltada para a carreira acadêmica. Mestrado e doutorado, por exemplo, pertencem à segunda categoria.

Na primeira categoria, podemos fazer ainda a diferenciação entre residência e especialização. A residência geralmente demanda dedicação exclusiva, tendo uma carga horária média de 60 horas semanais.

A especialização (também denominada popularmente como “pós-graduação”), por outro lado, costuma ter uma carga horária menor. Além disso, enquanto a residência pode oferecer uma bolsa de estudos, a especialização muitas vezes é paga.

2. Quem pode fazer uma pós-graduação médica?

Como o próprio nome sugere, a pós-graduação médica é voltada exclusivamente para médicos, embora também haja pós-graduações para outras áreas da saúde. Por isso, é fundamental a regularização em um conselho de classe regional para a realização da especialização.

Mesmo dentro dos candidatos médicos, no entanto, também há alguns pré-requisitos. Um exemplo é a residência em cardiologia, que requer, para seu início, que o médico seja clínico. Outro exemplo é a urologia, que pede uma especialização prévia em cirurgia geral.

3. Quanto tempo dura o curso?

A duração da pós-graduação é uma variável muito importante na definição de qual especialidade seguir. Afinal, ela será um norte na carreira do médico, guiando o que ele fará pelo resto da vida.

No entanto, cada especialização tem uma duração diferente, variando também de acordo com as instituições. Para se planejar bem, nesses casos, a melhor estratégia é verificar com antecedência qual a duração da especialidade desejada, em diferentes instituições.

4. Qual especialidade estudar?

Essa é uma pergunta que já pairou sobre qualquer médico especialista; afinal, a Medicina abre portas para diversas áreas, desde a patologia clínica até a neurocirurgia. Você já se perguntou qual área melhor se encaixa em seus interesses e pretensões?

Se essa pergunta já te aflige, existem algumas dicas que podem ajudar. A primeira delas é acompanhar a rotina de profissionais de diversas especialidades, para saber qual agrada mais. Lembre-se de que as jornadas de trabalho podem variar bastante, englobando desde atendimentos em consultório médico até o regime de plantão.

Outra variável que faz a diferença no momento da escolha da especialidade é o valor médio ganho. No Brasil, existe uma grande discrepância de salários para especialistas, seja entre as especialidades ou na comparação com generalistas. Por isso, vale a pena pesquisar a média salarial da área em que você pretende atuar antes de iniciar a especialização.

Por fim, caso a dúvida persista, existem testes vocacionais para que você compreenda melhor em qual especialidade se encaixa. Eles geralmente levam em consideração as pretensões individuais, inclinações a determinada área e demandas do mercado.

5. Por que fazer uma pós-graduação médica?

A jornada acadêmica do médico é longa, envolvendo a faculdade de Medicina e as especializações — que, muitas vezes, levam a outras subespecializações. Por isso, ao se formar, é natural que o médico cogite a importância de se especializar.

Nesse momento, cabe recordar as possibilidades de trabalho de um médico generalista: como ele não tem o título de especialista, o mercado em consultório particular é escasso, diferentemente de outros colegas.

Para o médico recém-formado, as principais opções de trabalho são os plantões de urgência e emergência, a atenção primária à saúde e clínicas específicas — como as de medicina do trabalho. Embora as opções sejam atrativas, os especialistas no geral têm um leque ainda maior de atuações.

Além disso, é importante recordar que há uma diferença salarial considerável entre generalistas e especialistas. De acordo com um levantamento da FII Brasil, médicos generalistas ganham em média menos de R$10.000 por mês — um valor considerado abaixo da média de especialistas.

6. Como escolher a melhor instituição de ensino?

Uma das características que faz toda a diferença no momento de escolher a especialização é o local onde ela é feita. Existem diversas instituições que oferecem pós-graduações para médicos, incluindo escolas, universidades e hospitais.

O problema é que pode ser difícil investigar a qualidade da pós-graduação antes da matrícula. Por isso, o ideal é manter a atenção redobrada em alguns fatores que indicam que a especialização está alinhada com os interesses do mercado.

Um desses fatores é a parceria com hospitais renomados, o que mostra uma boa aceitação de mercado dos profissionais da instituição. Nossa dica é procurar por empresas parceiras como o Hospital Israelita Albert Einstein, que já tem uma reputação no mercado e geralmente se associa a outras instituições de destaque.

Outro fator é a atualização com as tendências do mercado médico, especialmente com as novas tecnologias da saúde. Pós-graduações que contam com sistemas de ensino híbridos ou já estão alinhadas com a telemedicina tendem a ser mais atualizadas do que as demais.

A especialização médica pode suscitar muitas dúvidas entre os profissionais que buscam realizá-la. Para sanar as suas questões da melhor maneira possível, é imprescindível conhecer e pesquisar bem o mercado.

E você, está procurando alguma especialização no momento? Se sim, deixe nos comentários a área em que você pretende atuar e se tem mais alguma dúvida! Teremos o prazer de ajudar a responder da melhor maneira possível.

O que faz um médico urologista? 

O que faz um médico urologista? 

08/07/2024

Curso de Medicina da São Judas Cubatão é conceito máximo no MEC

05/07/2024
Scroll to Top