Início

IoT na Medicina: conheça os avanços da tecnologia na área da saúde

08/03/2022

A IoT, ou Internet das Coisas, tem gerado vários benefícios para a área da saúde. Veja quais são!

Não há dúvidas da importância do uso de tecnologia como forma de otimizar os processos, gerar facilidade e inovação para os serviços prestados, garantir segurança, entre outras características essenciais a um negócio de sucesso. Entre as principais novidades, podemos apontar a IoT na Medicina.

Adoção dessa tecnologia representa um grande avanço para propor atendimento eficiente, qualidade e comodidade, seja no diagnóstico, seja no tratamento ou no acompanhamento dos pacientes. Quer conhecer um pouco melhor sobre o que é IoT na Medicina, por que se tornou uma tendência, vantagens e como pode ser aplicada? Então, continue a leitura!

Qual é o conceito de IoT na Medicina?

A Internet of Things, também conhecida como Internet das Coisas, é representada pela utilização de dispositivos conectados à rede que possibilitam gerar conectividade a recursos que, anteriormente, não utilizavam essa tecnologia. No ramo da saúde, pode ser bastante útil para pacientes e profissionais.

Isso ocorre por intermédio da coleta de dados contínua e automatizada, que viabiliza evoluções de desenvolvimento relevantes, quando o assunto é aumentar a eficácia dos processos. Assim, traz mais segurança para a equipe e aos pacientes.

Quando bem aplicada, pode melhorar os resultados e impactar os custos. Além disso, disponibilizar uma experiência mais personalizada, humanizada e satisfatória para o público da instituição de saúde.

Quais as vantagens de usar a IoT na Medicina?

A Medicina pode usufruir de resultados bastante consideráveis com a aplicação da IoT em suas atividades. Veja as principais, a seguir!

Simplicidade no compartilhamento de dados

Diversos exames, diagnósticos e tratamentos não são feitos por um único médico. Sendo assim, é importante contar com uma equipe para estabelecer o protocolo mais adequado para resolver o problema da melhor forma.

Nesse caso, é essencial que todos tenham acesso aos exames realizados. Então, quando todas as informações estão disponíveis em nuvem, de maneira automática, o uso se torna mais simples, o que gera agilidade e redução de burocracias no decorrer do tempo.

Aumento da produtividade

Por meio da IoT, é possível assegurar maior produtividade, por exemplo, ao acoplar sensores nos equipamentos com o intuito de encaminhar as imagens de forma automatizada para o cadastro do paciente, evitando a necessidade de encaminhamento manual. Com isso, o número de etapas para que o material chegue ao responsável por elaborar o laudo e para o paciente é reduzido.

Acompanhamento remoto dos pacientes

Muitas vezes o paciente não more na mesma cidade do estabelecimento onde realiza consultas médicas e tratamento. Com a tecnologia, esse não é um problema tão grande.

Por meio de sensores e de equipamentos vestíveis, é possível fazer a transmissão de dados para aplicativos específicos. Dessa maneira, o profissional de saúde pode acompanhar e monitorar o caso continuamente, além de comunicar a respeito de eventuais necessidades de intervenções.

Armazenamento de informações na nuvem

Outra questão relevante é a segurança das informações ao serem armazenadas na nuvem. Em muitos casos, o paciente corre o risco de perder exames e laudos importantes para um diagnóstico mais preciso. Por meio do uso da cloud, como é chamada, esses dados podem ser recuperados rapidamente, por intermédio do cadastro do cliente, além de possibilitar o acesso de maneira mais fácil.

Monitoramento dos equipamentos

Os dispositivos IoT também são usados para garantir a boa performance dos equipamentos, já que necessitam de parâmetros bem definidos para o uso eficaz, como bombas de oxigênio e desfibriladores. Assim, a tecnologia atua de forma automatizada para alertar os profissionais a respeito de algum problema que possa comprometer a precisão dos resultados e funcionalidades.

Como a IoT é utilizada na Medicina?

Vários mecanismos podem ser usados como forma de aplicar a IoT na Medicina. Conheça os principais!

Lentes de contato inteligentes

Trata-se de um recurso que permite a análise dos fluidos nas lágrimas, que servem como base para mensurar o índice de açúcar no sangue. Pode ser uma solução que, com simplicidade, conforto, precisão e sem a interferência humana, tem tudo para estabelecer um atendimento mais humano e criar uma relação mais sólida entre médico e paciente.

Existem modelos que possibilitam a projeção de imagens capazes de ajudar pessoas com deficiência visual a enxergar melhor, o que vai proporcionar a elas bem-estar e qualidade de vida.

Registro digital de exames

Por intermédio dele, o responsável pelos procedimentos cria um tipo de cadastro do paciente, em que anexa vídeos, imagens e laudos. Dessa forma, o médico consegue ter acesso direto ao material, por meio do computador, celular e demais dispositivos eletrônicos.

Com isso, mesmo a distância, é possível fazer um diagnóstico mais preciso, o que proporciona uma facilidade significativa. Principalmente, para os pacientes que não moram na mesma cidade da clínica ou consultório, ou que têm limitações na locomoção.

Respiradores conectados

Por meio dessa ferramenta, a inovação contribui para que os profissionais da saúde consigam detectar a frequência de crises respiratórias nos pacientes. Com isso, orientá-los em relação às causas que levaram a essas complicações.

Dessa forma, fica fácil estudar os melhores meios para solucionar problemas dessa gravidade e, assim, evitar que ocorram novamente. Ou seja, a IoT pode ser usada como recurso não apenas de monitoramento, mas também, de prevenção.

Sensores ingeríveis

Determinadas enfermidades são mais difíceis de ser diagnosticadas, devido à dificuldade de analisar funcionamentos internos, como as complicações no sistema digestivo. Nesse caso, os sensores ingeríveis podem ser grandes aliados.

Por meio deles, uma câmera inserida dentro de uma cápsula é ingerida pelo paciente, que vai transmitir imagens para um dispositivo utilizando um sensor, com o PH do estômago e causas de hemorragias internas, sendo dissolvidas pelo próprio organismo.

Dessa forma, os médicos acompanham os pacientes por meio do smartphone e podem realizar intervenções com agilidade. Isso vai evitar o agravamento do quadro clínico do indivíduo.

Realidade virtual para identificar Alzheimer

É uma solução que ajuda na detecção do estágio do Alzheimer, tendo em vista que viabiliza a simulação de meios e a identificação de traços de desorientação espacial, que são alguns dos primeiros sintomas da doença. Isso é importante porque, quanto mais rápido o diagnóstico acontecer, maior será o sucesso das estratégias usadas para retardar o avanço da enfermidade.

Agora que você entende o que é IoT na Medicina e como pode ser aplicada, é importante avaliar a necessidade de investir nessas soluções e, assim, oferecer serviços de saúde eficaz, seguros e de qualidade. Essas são características essenciais para propor um atendimento mais humanizado e capaz de fidelizar os pacientes.

Gostou do conteúdo? Então, siga as nossas redes sociais e veja informações relevantes sobre outros assuntos. Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn!

Dicas de filmes para quem sonha em estudar Medicina 

19/04/2024

Navio da Saúde: estudantes de medicina retomam atendimento e iniciam processo de territorialização em comunidades à beira do Rio Tapajós, no Pará

17/04/2024
Scroll to Top